O que fazer no centro histórico de Santiago

Mercado Público de Santiago: local simples, mas caro
No Mercado Central de Santiago, é possível comer a centolla, um caranguejo gigante

Começamos nosso tour pelo centro histórico de Santiago, mais precisamente em seu marco zero: a Plaza de Armas. No local, visitamos a Catedral Metropolitana, que funciona de segunda a sábado, das 9 h às 19 h, e aos domingos, das 9 h às 12 h. A poucos metros dali, circundando a Plaza de Armas, está o Museu de Arte Pré-Colombiana que conta a história dos povos americanos com um rico acervo arqueológico.

Palácio de La Moneda

Em seguida, caminhamos uns 15 minutos pelo centro histórico de Santiago e chegamos ao Palácio de La Moneda, sede do governo chileno. As visitas guiadas em espanhol ou inglês são gratuitas e oferecidas em quatro horários: 9h30, 11 h, 15 h e 16h30. É preciso agenda-las com antecedência no site do governo. Além do tour pelo palácio, é possível assistir a troca da guarda, que acontece a cada dois dias. Nos meses de janeiro, abril, maio, agosto, novembro e dezembro, ela acontece nos dias pares. Já nos meses de fevereiro, março, junho, julho, setembro e outubro, ela acontece nos dias ímpares.

Mercado Central de Santiago

Depois de bater perna, fizemos um pit-stop no Mercado Central de Santiago. Como todo mercado público, o cheiro forte dos peixes, ervas e temperos domina o ambiente do local. A estrutura simples dos restaurantes não condiz com os preços praticados. Um dos pratos principais é a centolla, um primo gigante do caranguejo que vive nas águas profundas do Pacífico. Quem já assistiu ao programa Pesca Mortal sabe do que estou falando !! A iguaria que serve duas pessoas não sai por menos de R$ 400. Tudo bem que ele é gostoso – tem um sabor parecido com a lagosta – mas ainda assim não acho que valha a pena.

A Terraza Neptuno no Cerro Santa Lucia

Por fim, se o clima estiver ameno, vale a pena percorrer os 1,3 km que separam o Mercado Central do Cerro Santa Lucia. Uma vez no local, prepare-se para subir escadas e rampas até chegar ao topo. Do alto, se tem uma vista panorâmica de Santiago. A subida requer um pouco de fôlego, mas conseguimos driblar o cansaço caminhando devagar e fazendo paradas estratégicas. A Terraza Neptuno, por exemplo, é uma fonte interessante inspirada na Fontana de Trevi. Se o céu estiver limpo, é possível avistar a Cordilheira dos Andes circundando a cidade.

Leia mais sobre o Chile:

Chile: informações gerais

Como visitar as casas de Pablo Neruda

Anúncios

Deixe uma resposta