Chile: informações gerais

Plaza de Armas é o marco zero de Santiago, no Chile
Plaza de Armas: o antigo e o novo dividem o mesmo espaço na capital chilena

O Chile é um dos países mais visitados da América do Sul. E muito disso deve-se à variedade de destinos que ele oferece aos viajantes: Deserto do Atacama, Santiago, Valparaíso, Viña del Mar, Valle Nevado, Ilha de Páscoa, Patagônia, Região dos Lagos etc. Diante de tantas possibilidades, é impossível conhecê-lo em uma única viagem. Normalmente, o primeiro roteiro em terras chilenas inclui a capital Santiago e cidades da região central do país, como Valparaíso e Viña del Mar. Mas antes de compartilharmos o nosso roteiro vamos passar algumas informações sobre o país.

Com um território de 4.300 km, o Chile possui caraterísticas únicas por estar localizado entre a Cordilheira dos Andes e o Oceano Pacífico. Ele faz fronteira com a Argentina, Bolívia e Peru; e possui territórios na Polinésia e na Antártica. A via aérea é a forma mais utilizada por nós brasileiros para entrar no país. Passaporte e visto não são necessários, mas caso opte pelo RG lembre-se que o documento tem que ser atual. A moeda do país é o peso chileno, facilmente encontrado em casas de câmbio brasileira e chilena. Não vale a pena levar o real porque ele não tem a mesma aceitação que tem na Argentina.

Quando ir ao Chile

É possível visitar o país durante o ano todo; mas áreas com temperaturas extremas, a exemplo do Deserto do Atacama e Patagônia, merecem uma atenção especial pois as opções de lazer variam a depender da época do ano. O site Chile Travel, do Serviço Nacional de Turismo, apresenta um panorama geral dos principais destinos do país, sugere o que fazer e ainda fornece informações práticas. O mais legal é que as informações estão disponíveis em seis idiomas: português, espanhol, inglês, italiano, francês e alemão.

Translado Aeroporto de Santiago

O aeroporto de Santiago está a 20 km do centro da cidade. Se você preferir fazer o deslocamento de táxi, saiba que há o táxi comum (preto e amarelo) que roda com o taxímetro e o especial (azul) com preços tabelados. Uma opção mais barata são os serviços de transfer em vans compartilhadas da Transfer Delfos e da Transvip. Assim como os táxis, as vans também operam 24h e seus balcões de atendimento são facilmente encontrados nas áreas de desembarque.

Agora, se você quer economizar valendo, a dica é pegar o busão. As empresas Tur Bus Aeropuerto e Centropuerto são as companhias de ônibus autorizadas a operar no aeroporto. Para mais informações sobre rotas, horários e preços, é só clicar neste link. Para quem não abre mão de dirigir, sempre há opção de aluguel de carro. O site do traz uma lista com várias empresas.

Leia mais sobre o Chile:

Como visitar as casas de Pablo Neruda

O que fazer no centro histórico de Santiago

Anúncios

Deixe uma resposta