Ushuaia: uma viagem ao “fim do mundo”

O Trem do Fim do Mundo opera o ano todo em Ushuaia
O Trem do Fim do Mundo opera o ano todo (Crédito/ Brasileiros em Ushuaia)

A fama de viagem ao “fim do mundo” que a cidade argentina de Ushuaia carrega deve-se a sua localização austral, próxima a Antártida. Prepare-se para temperaturas baixíssimas, que no inverno (junho a setembro) podem chegar a – 20oC. Sem falar nos ventos gelados, que fazem a sensação térmica ser ainda mais baixa…

Embora seja naturalmente um destino de inverno, Ushuaia bomba mesmo é no verão. Nessa estação, os termômetros chegam a 10oC e os dias podem chegar a ter até 17 horas de sol. A cidade fica tão aprazível que até os pinguins dão pinta por lá nessa época do ano.

Ushuaia: a cidade mais austral do mundo
Cidade mais austral do mundo

Mesmo sendo uma cidade pequena, Ushuaia oferece muitas opções de lazer e por isso no seu planejamento de viagens reserve cinco dias na cidade. No primeiro dia de viagem, faça um reconhecimento do território e dê uma caminhada pela orla do Canal Beagle. Além de apreciar a Cordilheira dos Andes, aproveite para fechar os passeios com as agências. É possível contratar tudo por conta própria. Mas para quem não dispensa os serviços e a comodidade de uma agência algumas opções são a Brasileiros em Ushuaia, Tierra Turismo e Piratour .

Ushuaia o ano todo

Também é possível navegar pelo canal que divide a Argentina e o Chile. Geralmente, os passeios de barcos incluem paradas de observação nas Ilha dos Lobos Marinhos, Ilha dos Pássaros e Farol Les Eclaireurs. Para conhecer a história da cidade você tem duas opções. Comece pelo Museu Marítimo (antiga prisão que está intimamente ligada à fundação da cidade). Em seguida, faça o passeio no Trem do Fim do Mundo, que o levará até o Parque Nacional Tierra del Fuego. O local oferece trilhas com vários níveis de dificuldade. Com exceção dos trekkings, todos os passeios acima podem ser feitos tanto no inverno quanto no verão.

Farol Les Eclaireurs

Ushuaia no verão

Já os passeios aos lagos Fagnano e Escondido e o trekking à Laguna Esmeralda são mais indicados para o verão. A visita à Isla Martillo, conhecida também por Pinguinera, pode ser facilmente combinada com a navegação ao Canal Beagle. A ilha é uma referência aos pinguins que em todos os verões (outubro a março) se refugiam no local com o objetivo de procriar-se. Esse é o único passeio que deve ser fechado com antecedência porque há um limite de visitação: 20 pessoas/ dia.

Pinguins na Isla Martillo (Crédito: Piratour)

Ushuaia no inverno

No inverno, a grande atração de Ushuaia é a neve. A cidade tem a temporada de esqui mais longa da América do Sul, começando no final de junho e terminando no finzinho de setembro. No Cerro Castor, é possível praticar esqui, patinação e snowboard. O local é um centro invernal que está a 26 km de Ushuaia. É possível contratar transfer dos principais hotéis da cidade até o Cerro Castor via internet.

Além de esportes de inverno, há outras opções na neve, como passeios de trenós puxados por huskies siberianos no centro invernal Valle de Lobos. Também é possível pilotar uma snowmobile (moto na neve) no centro Ushuaia Blanca ou curtir o trenó deslizador, no qual você vai deitado, no centro Haruwen. Outra opção de lazer é o Glaciar Martial, localizado no Cerro Martial e que está a apenas 7 km de Ushuaia. Para aqueles que têm um bom condicionamento físico a pedida é encarar uma caminhada íngreme até o glaciar. Para os menos dispostos, a dica é ir de teleférico.

Trenó puxado por cães (Crédito: Welcome Argentina)

A vida noturna de Ushuaia não é das mais badaladas, mas conta com bons restaurantes. Além disso, você pode aproveitar o horário estendido do comércio, que fica aberto até às 21 h, para garimpar roupas de frios ou comprar aquela lembrancinha. Se você estiver a fim de algo mais animado, a dica é ir no Dublin, um pub que começa a ficar animado depois das 22 h. Para os mais ousados, a opção é apostar a sorte nos cassinos da cidade.

Chegando pelo ar

Não existem voos diretos do Brasil para Ushuaia. É necessário fazer uma conexão na capital argentina e o voo de Buenos Aires a Ushuaia dura 3h45min. Se o tempo da conexão for muito longo, vale a pena pernoitar na capital argentina para que a viagem não seja tão cansativa.

Chegando por terra

Essa opção é para quem tem muito tempo disponível e não dispensa aventura. É o modal escolhido por quem vem do Alasca – isso mesmo, tem gente que percorre os dois extremos das Américas na mesma viagem – e de El Calafate, outra cidade da Patagônia argentina que está a 880 km de distância. É importante destacar que encarar as estradas da região no período do inverno é perigoso e requer cuidados especiais. É importante viajar em carros com tração e pneus especiais ou uso de correntes nos pneus.

O Glaciar Martial está a apenas 7 km de Ushuaia
Teleférico do Glaciar Martial

Hospedagem

Por ser um destino turístico, Ushuaia oferece uma boa oferta hoteleira e tem opções para todos os bolsos. Também é possível encontrar acomodações cadastradas no Airbnb. Para quem não abre mão de fazer tudo a pé, a dica é escolher um local nas imediações da Avenida San Martin, a principal da cidade. Se você prefere algo mais reservado e exclusivo, saiba que os hotéis de luxo ficam nos arredores da cidade. Ou seja, considere colocar na sua planilha de custo os gastos com deslocamentos, sejam eles com carro alugado ou táxis.

Leia mais sobre a Patagônia:

Patagônia: um destino com vários destinos

Anúncios

Deixe uma resposta