Amsterdã impõe regras em combate ao comportamento ofensivo de turistas

O governo de Amsterdã criou uma campanha de conscientização
Campanha criada para combater o comportamento ofensivo de alguns turistas

Em março deste ano, a Câmara Municipal de Amsterdã anunciou a proibição de tours guiados no Red Light District (Distrito da Luz Vermelha). O objetivo é preservar o trabalho das prostitutas, profissão regulamentada na cidade. A medida passa a valer a partir de 1o de janeiro de 2020. Mas até lá, os turistas já vão sentir outras restrições. Desde o início deste mês, os tours guiados ao bairro só podem acontecer até às 19h, duas horas antes do horário vigente até então.

Segundo as autoridades holandesas, alguns turistas que visitam o local são inconvenientes com essas mulheres. Além de fazerem arruaças e sujarem as ruas. No entanto, não são só as prostitutas que estão incomodadas com o grande volume de visitantes. Outros moradores têm reclamado da desordem provocada por muitos turistas. Isso tem motivado algumas pessoas a deixarem a cidade.

Por isso e com o objetivo de priorizar seus moradores, as autoridades adotaram outras medidas. Uma delas é a limitação a 15 o número de pessoas em grupos no centro histórico. Outra é a proibição de tours nessa região de Amsterdã após às 19h, incluindo nos finais de semana.

As restrições também chegaram às plataformas de aluguel privado. Os proprietários de imóveis não podem sublocar a essas empresas por período superior a 30 dias ao longo do ano. E para quem confunde a liberalidade da cidade com baderna, prepare-se porque as multas para quem bebe álcool ou urina em locais públicos são altíssimas (95 euros/ 410 reais e 140 euros/ 605 reais, respectivamente) e devem ser pagas na hora. Caso contrário, a pessoa será encaminhada à delegacia.

Anúncios

Deixe uma resposta